Família

COMO ENSINAR OS FILHOS A USAR AS REDES SOCIAIS DE MANEIRA SEGURA?

 
 
Experiências são essenciais para o crescimento saudável do seu filho e a maioria delas está relacionada a repetir atividades comuns na rotina da turma. A vontade de participar das redes sociais costuma estar entre as maiores preocupações dos pais, recentemente.
 
"Mas não basta exercer o controle, a relação entre pai e filho precisa ser divertida, e não só marcada pela supervisão e obediência a regras", afirma a psicóloga clínica Ana Cássia Maturano, especializada pela Universidade de São Paulo. As sete dicas a seguir vão ajudar você a segurar a mão do seu filho e orientá-lo sobre como usar a internet com segurança e aproveitando as divertidas possibilidades que ela oferece.
 
Esteja ao lado dele no começo
 
Qual a melhor foto para mostrar para todos os amiguinhos? Que informações vale revelar em uma rede social? Essas perguntas simples são feitas habitualmente em qualquer cadastro de site e é importante ter respostas precisas para cada uma delas. "Os pais precisam acompanhar e, de certa forma, orientar o filho em aspectos que dizem respeito à construção da identidade", afirma a pedagoga Júlia Milani, da entidade Terceiro Passo.
 
Dizer a idade, as atividades favoritas e a profissão desejada para o futuro é uma forma de expor para o mundo, a criança precisa entender isso com exemplos simples. "No início, o ideal é estar ao lado do seu filho sempre que ele entrar nesses sites e sempre como um parceiro, explicando as possibilidades e os riscos que existem ali", afirma a psicóloga Ana Cássia Maturano.
 
A segurança é prioridade
 
É importante que o pai deixe claro o quanto a supervisão é importante para garantir a segurança do filho na internet. "A relação precisa ser divertida, feita como uma coisa gostosa, não apenas um controle chato, mostre opções interessantes e reforce a responsabilidade ligada ao uso das redes sociais", afirma a especialista Ana Cássia Maturano. Se a obrigação do pai e da mãe é saber por onde o filho anda no mundo real, também é no virtual.
 
Converse com ele e explique que, acima de um controle, essa postura traz a proteção necessária para que o uso dos sites seja o mais seguro possível. "Proteger é diferente de controlar, dê exemplos de situações em que a sua opinião foi valiosa para evitar incidentes", afirma a pedagoga Júlia Milani.
 
Limites são importantes
 
Especialistas são unânimes quando o assunto é impor limites às crianças: eles são essenciais, e isso também ocorre nas redes sociais. Não apenas os pequenos, mas também os jovens e até mesmo os adultos precisam saber dosar a quantidade de horas que ficam conectados.
 
"Com o exagero, a criança pode até se esquecer de fazer atividades importantes, como brincar com outras, praticar atividades físicas e desenvolver relações com o ambiente em que está inserida", afirma a pedagoga Júlia Milani, da entidade Terceiro Passo.
 
Monitorar as atividades é essencial
 
Ajudar na criação do perfil é apenas o primeiro passo dos pais quando os filhos se interessam em usar as redes sociais. Mas o trabalho vai além, já que precisa ser uma observação contínua e da navegação no Facebook, por exemplo. "Olhar as mensagens ou conferir a lista de amigos pode ser um hábito que previne o contato de pessoas mal intencionadas", afirma a psicóloga Ana Cássia.
 
Além de olhar, é também importante ser sincero com o seu filho. Nunca seja sorrateiro em uma dessas "investigações", deixe bem claro que você vai entrar e ficar de olho em o que ele está fazendo. "Se você vasculhar escondido, corre o risco de que seu filho perca a confiança em você."
 
Bons hábitos dentro e fora das redes
 
Se pessoas desconhecidas devem ser evitadas pelas crianças no dia a dia, a mesma recomendação vale para a internet. "O pai deve mostrar que a presença numa rede social online é uma responsabilidade, e justamente por isso não pode revelar informações pessoais como telefone e endereço", afirma a psicopedagoga Ana Cássia Maturano.
 
Às vezes a inocência da criança pode ser o gatilho que pessoas com más intenções usam para conseguir os dados que querem. Por isso, não se preocupe com meias palavras: deixe bem claro para o seu filho que é essencial ser criterioso com o que é dito no Facebook, por exemplo. "Explique que ficar atento e ser cuidadoso são condições para fazer parte dessas redes e, se ele tiver alguma dúvida, pode se sentir a vontade para perguntar para os pais", afirma a especialista Júlia Milani.
 
Apontando a existência de más intenções
 
Um dos maiores perigos para as crianças nas redes sociais está relacionado com o próprio cotidiano nas escolas: o bullying que antes existia entre as paredes da sala de aula ganhou proporções gigantescas na internet. Em casos em que a criança sofre esse tipo de perseguição online, as especialistas são unânimes: é importante buscar uma solução junto à escola.
 
"É importante deixar claro que, por mais que seja uma ferramenta muito legal, ela também pode ser usada por pessoas capazes de prejudicar e com um alcance muito superior ao que acontece no mundo fora das redes", afirma a psicóloga Ana Cássia.
 
Usando a internet para o bem
 
Mas não é só de maus exemplos que a internet é feita. O caso de Isadora Faber, a estudante de 13 anos que usou uma página no Facebook para denunciar os problemas de sua escola, mostra como as redes sociais também podem ser usadas para o bem. "A criança pode ter ideias de como usar as redes para transformar o que incomoda e fazer denúncias em nome do bem coletivo", afirma a psicóloga Ana Cássia Maturano.
 
A especialista só recomenda evitar o discurso chato em torno de uma experiência que pode ser positiva, deixe a criança livre para pensar em novos usos da rede e discutir as possibilidades com vocês antes de colocar em prática. "Enquanto isso, valorize ferramentas como a agenda de aniversários, ver mais detalhes do passeio da escola ou conversar com a tia que mora longe sem gastar telefone", afirma a profissional.
 
 
Fonte: MinhaVida
Publicação 06/02/2018, Por Bispa Fê
Família

QUANDO NOSSOS FILHOS ESTÃO PRESTES A VOAR...

 
A imagem pode conter: 1 pessoa, atividades ao ar livre e natureza
 
É muito difícil o dia em que temos que deixar nossos pequenos voarem. Meu filho mais velho, David, completou 15 anos no último dia 18 de janeiro.
 
Estou muito feliz, porque o tenho visto crescer na presença do Senhor. Mas não paro de pensar em como o tempo passa rápido. Daqui três anos, ele ingressará na universidade.
 
Eu aprovei muito todas as fases da vida dele, mas sempre fica aquela sensação de que eu poderia ter estado mais próxima. Acho que todas as mães sentem isso – até mesmo aquelas que não trabalham fora. Mas eu acredito que estes voos são grandes oportunidades para eles desenvolverem suas habilidades, fazer grandes descobertas e aplicarem tudo o que nós ensinamos. O fato é que eles continuarão aprendendo. E nós, mães, também!
 
Amar à distância é transformar a ausência em uma grande expectativa de encontro! É transformar aquelas horas de convivência em momentos inesquecíveis e incomparáveis.
 
A maternidade é marcada por muitas fases. Em uma delas, chega o momento em que nós temos que ser como Joquebede: depois de montar e betumar o cestinho com nossas próprias mãos, guardá-lo e protegê-lo, precisamos colocá-lo no rio – sabendo que Miriam sempre o estará vigiando, é claro!
 
Os nossos joelhos estarão no chão, e, no nosso coração sempre haverá a certeza de que o Espírito Santo estará com eles.
 
Eles vão navegar por águas perigosas, profundas... vão enfrentar terríveis tempestades... mas serão conduzidos em triunfo em direção ao centro da vontade de Deus!
 
Salmos 127.3 a 5: Herança do SENHOR são os filhos; o fruto do ventre, seu galardão. Como flechas na mão do guerreiro, assim os filhos da mocidade. Feliz o homem que enche deles a sua aljava; não será envergonhado, quando pleitear com os inimigos à porta.”
 
Se o seu filho está prestes a voar, guarde o seu coração e confie no Senhor, porque haverá bom futuro! A nossa esperança n´Ele jamais será frustrada!
 
Este é o recadinho que eu tenho para vocês nesta quarta-feira!
Publicação 24/01/2018, Por Bispa Fê
Família

NAS FÉRIAS, TIRE SEU FILHO DO COMPUTADOR COM 9 BRINCADEIRAS

 
Resultado de imagem para criancas diversao
 
Entreter as crianças durante o período de férias exige muita criatividade. Além das viagens e dos passeios de final de semana, a programação precisa incluir atividades para os momentos em casa. "Quando os pais têm disposição, há muita coisa a se fazer", afirma a gerente geral do acampamento Peraltas, Marília Rabelo. "Muitas crianças são mal acostumadas por causa do comodismo dos pais, que acham mais fácil deixá-las em frente ao computador".
 
Mas nem sempre o problema está na falta de vontade. Muitos adultos esquecem facilmente os tempos de pequenos e precisam de uma ajudinha para bolar recreações. Abaixo, você confere uma série de dicas da Marília para ocupar o tempo do seu filho de forma saudável e, claro, aproveitar a ocasião para também dar muitas risadas com ele.
 
Gincanas
 
Resultado de imagem para crianças Gincanas
 
Se você tiver espaço no quintal ou no jardim, esconda objetos e vá soltando pistas para crianças encontrá-los. É como uma caça ao tesouro e vale até pensar numa recompensa no final. Na falta de um quintal espaçoso, use os cômodos da casa para a brincadeira, tomando cuidado com a mobília e com objetos que se quebram facilmente.
 
Tiro ao alvo
 
Elejam um alvo e, com aquelas arminhas de água, montem um campeonato. Que tal pais contra filhos? Uma idéia é pôr anilina na água para diferenciar os jatos de um time e de outro.
 
Bolinhas de gude
 
Imagem relacionada
 
Um campeonato com elas rende até horas de muito entretenimento. A idéia é trombar umas nas outras ou formar casas, encaçapando as bolinhas do adversário.
 
Pular elástico
 
A brincadeira é adorada pelas meninas que passam horas trançando as pernas nas tramas dos elásticos. A diversão é tanta que, na falta de um quintal, não custa experimentar na rua, mesmo.
 
Faça pipas
 
Resultado de imagem para pipas criancas
 
A diversão começa na escolha dos papéis e na confecção do brinquedo. Não bastasse, ainda tem a delícia que é empinar no quintal ou num parque.
 
Construa instrumentos
 
Não precisa de muito. Com uma garrafa plástica e punhados de areia, você já consegue um chocalho. Uma tira de couro e um pedaço de madeira rendem um batuque. Depois, é só entrar no ritmo da festa.
 
Modele argila
 
Imagem relacionada
 
A brincadeira faz sujeira, mas agrada crianças de todas as idades. Dá para fazer vasos, copinhos e porta-trecos. Além de modelar, as crianças adoram pintar as criações.
 
Decore uma camiseta
 
Pode separar uma peça e encher com tina para tecido e purpurina, retalhos e botões. Ela pode virar o uniforme da brincadeira nas férias ou até servir como presente para alguém especial.
 
Monte um balanço
 
Resultado de imagem para crianca parquinho
 
Dá para pendurar na árvore ou até mesmo num pedaço de telhado que fique à mostra. Você só precisa de um pneu velho e de um pedaço de corda reforçado para conseguir montar o brinquedo favorito das crianças nos parquinhos.
 
 
Redação iGospel
Fonte: MinhaVida
Publicação 04/01/2018, Por Bispa Fê
Família

EXISTE CASAMENTO À PROVA DE CRISES?

 
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, montanha, céu, atividades ao ar livre e natureza
 
Dizem que a mais convincente pregação é a silenciosa, porque o nosso comportamento revela nossas verdadeiras convicções. A nossa postura tem uma capacidade maior de inspirar as pessoas.
 
Eu sou privilegiada por ser filha de dois grandes servos de Deus – Apóstolo Estevam e Bispa Sonia Hernandes. Digo isso porque eu tive a oportunidade de caminhar com eles além das quatro paredes da igreja.
 
Posso dizer, com todas as letras, que eles vivem o que pregam, e pregam o que vivem! Eles são meus referenciais e, com o seu exemplo, aprendi a ser uma mãe melhor, uma esposa melhor, uma filha maior, uma profissional melhor e uma bispa melhor!
 
Por isso, eu separei um tempinho para compartilhar com vocês – no vídeo abaixo – alguns ensinamentos que eu recebi deles no nosso ambiente familiar que foram essenciais para o meu casamento. Afinal, nenhum relacionamento está livre de crises! 
 
Publicação 06/12/2017, Por Bispa Fê