Família

COMO DEIXAR OS FILHOS MAIS INDEPENDENTES?

 
Resultado de imagem para filhos independentes
 
É na fase da adolescência que a maioria dos jovens desperta uma vontade maior de ser independente: viajar sozinho nas férias, ter a liberdade de fazer mais coisas sem um adulto por perto... No entanto, incentivar essa independência nem sempre é algo tão fácil para os pais. A linha entre ser um pai participativo ou um pai que sufoca é muito tênue. Por isso, saber quando ajudar ou quando deixar o filho se virar é uma das principais questões para quem tem filhos nessa fase.
 
"Na verdade, nunca nos tornamos independentes. Na família, e até mesmo na sociedade, buscamos com freqüência a opinião de pessoas mais experientes, como os pais. O que podemos desejar para os nossos filhos é que eles consigam ter autonomia, ou seja, tenham liberdade e capacidade para decidir como pensar, ser e agir", diz Teresa Helena Schoen-Ferreira, psicóloga da Universidade Federal de São Paulo.
 
Tentar forçar o filho a uma mudança abrupta de comportamento e de rotina não é um bom caminho. Os pais que querem ver os seus filhos como jovens autônomos quando adolescentes - que saibam se virar sozinhos em viagens, por exemplo - precisam pensar nisso logo nos primeiros anos de vida da criança.
 
"Os pais devem entender que conseguir deixar o filho independente é um processo longo, que começa nas primeiras semanas de vida, e exige muito tempo e atenção, tanto do pai quanto da mãe", diz Teresa. Veja os conselhos dados pela psicóloga:
 
Primeiros anos
 
Segundo Teresa, pequenos hábitos incentivam a criança a ser independente - tanto fisicamente como psicologicamente - desde os primeiros meses de vida. "Deixar o filho brincar sozinho durante um tempo é muito importante, assim como sempre deixar os brinquedos onde ele possa pegá-los sozinho. Fazendo isso, ele se acostuma a passar tempo consigo mesmo e a fazer coisas sem depender de outra pessoa. É claro que o pai sempre tem de estar de olho, para a segurança da criança, mas não interagir com o seu filho durante um determinado período do dia, quando ele é criança, influenciará em sua personalidade quando for adolescente", diz Teresa.
 
Além disso, os pais têm que perceber que a criança precisa ter estímulos que desenvolvam a capacidade física, psicológica e motora, mesmo que os filhos não acertem de primeira. "Os pais normalmente protegem demais os filhos, não percebendo que alguns erros são necessários para o desenvolvimento da criança", explica a especialista.
 
Não existe uma idade certa, pois cada criança tem um desenvolvimento diferente, mas quando os pais perceberem que os filhos são capazes de fazer tarefas simples, como amarrar o sapato, colocar a roupa ou comer sozinho, devem incentivar os filhos a fazê-las.
 
Na adolescência
 
Na adolescência, o papel dos pais continua importante. Os pais não devem pensar que a idade traz consigo uma capacidade de ser independente. Também não podem simplesmente largar os filhos e esperar que eles sejam autônomos. A transição da infância para a adolescência precisa ser feita com calma e com o apoio dos pais, que devem deixar de controlar e passar a monitorar as ações dos filhos. "Nessa fase, os pais precisam conversar com o adolescente para conhecer as suas atividades, já que, em boa parte do dia, o jovem não estará na sua presença", diz Teresa.
 
Outro ponto importante apontado pela especialista é estabelecer uma mesada fixa. Aconselhar o filho a como usar o dinheiro e como anotar todos os gastos ajuda o adolescente a ter uma noção de responsabilidade e autocontrole, características essenciais de uma pessoa autônoma.
 
Amigos e família
 
A maioria dos pais não sente segurança na hora de começar a deixar o filho sair sozinho e acaba proibindo e adiando esse processo natural. Mas não sair com os amigos pode ser muito prejudicial ao adolescente. "Fazer parte de um grupo é muito importante em todas as fases da vida, mas é essencial na adolescência. Ter amigos traz segurança sem tirar a liberdade dos jovens", complementa Teresa.
 
É nas atividades em grupo que o adolescente aprende a como lidar com diferentes personalidades e traz um intercâmbio de informações muito maior do que a vivência exclusiva com os pais.
 
Uma boa saída para os pais mais preocupados é apelar para toda a família. A presença de parentes normalmente deixa os pais mais tranquilos, sem trazer desconforto ao adolescente. "Ir ao shopping com os pais pode ser o pior dos 'micos' para o adolescente, mas sair com o primo mais velho ou com um tio jovem é um evento diferente e interessante", diz Teresa.
 
Tanto amigos como família também podem ajudar em uma das principais oportunidades de incentivar o seu filho a ser autônomo: fazer viagens sem os pais. "Um jovem que passa as férias longe dos pais, como na casa dos avós, em algum acampamento ou na casa de algum amigo, é obrigado a conviver com a ausência dos pais por um longo período de tempo, e acaba desenvolvendo certo grau de autonomia", explica a especialista.
 
 
Informações: Minha Vida
Publicação 11/06/2018, Por Bispa Fê
Família

REALMENTE, NÃO HÁ IMPOSSÍVEIS PARA DEUS

 
A imagem pode conter: 1 pessoa, sentado, flor e planta
 
Nós, da Rede Gospel, preparamos uma série emocionante para o Mês das Mães, com verdadeiras histórias de fé e superação.
 
Hoje, eu gostaria de compartilhar com vocês o testemunho da Michelle Ramos, que virou notícia em todo o país.
 
Durante uma tentativa de assalto em Belford Roxo, no Rio de Janeiro, Michelle foi baleada na cabeça. Na época, ela estava grávida de 8 meses.
 
Michelle foi encaminhada para o Hospital Geral de Nova Iguaçu, onde uma cesárea foi realizada para tentar salvar o bebê.  O estado de ambos era gravíssimo. Mas o Senhor interferiu naquela situação e realizou um grande milagre.
 
Michelle e seu bebê, Antônio, sobreviveram e não tiveram nenhum tipo de sequelas, mostrando que, para aqueles que creem, não há situações irreversíveis.
 
Fiquei muito feliz, porque ela escolheu passar seu primeiro Dia das Mães conosco!
 
Espero que essa história te inspire e acenda dentro do seu coração a chama da fé:
 

 

Publicação 23/05/2018, Por Bispa Fê
Família

CASAMENTO +QV: O CORDÃO DE TRÊS DOBRAS

 
Nenhum texto alternativo automático disponível.
 
João 2.1 a 10: “Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galiléia, achando-se ali a mãe de Jesus. Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento. Tendo acabado o vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Eles não têm mais vinho. Mas Jesus lhe disse: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Então, ela falou aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser.
 
Estavam ali seis talhas de pedra, que os judeus usavam para as purificações, e cada uma levava duas ou três metretas. Jesus lhes disse: Enchei de água as talhas. E eles as encheram totalmente. Então, lhes determinou: Tirai agora e levai ao mestre-sala. Eles o fizeram. Tendo o mestre-sala provado a água transformada em vinho (não sabendo donde viera, se bem que o sabiam os serventes que haviam tirado a água), chamou o noivo e lhe disse: Todos costumam pôr primeiro o bom vinho e, quando já beberam fartamente, servem o inferior; tu, porém, guardaste o bom vinho até agora.”
 
Jesus foi convidado para participar de uma festa de casamento em Caná da Galileia. Chegando ao local, Ele presenciou uma crise. O vinho havia acabado. O vinho, figurativamente, representa a alegria.
 
Muitos casamentos são destruídos por causa de cobranças e desgastes. Para o nosso casamento ser uma festa, precisamos criar um ambiente favorável, um ambiente para que o milagre se manifeste. Em vez de um simples convidado, Jesus precisa ser o Senhor do seu relacionamento. Enquanto isso não acontecer, as crises sempre vão dominar.
 
Eclesiastes 4.12: “Se alguém quiser prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; o cordão de três dobras não se rebenta com facilidade.”
 
Salmos 37.5: “Entrega o teu caminho ao SENHOR, confia nele, e o mais Ele fará.”
 
Mateus 6.33: “Buscai, assim, em primeiro lugar, o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas.”
 
Para a realização do milagre, seis talhas foram preenchidas com água. A água representa ação do Espírito Santo. Jesus está esperando que você entregue suas talhas para que a transformação aconteça.
 
As talhas mencionadas na passagem bíblica podem representar seis áreas importantes na vida de um casal. Veja abaixo:
 
1ª) Talha da satisfação
 
 
Salmos 126.2 e 3: “ Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de júbilo; então, entre as nações se dizia: Grandes coisas o SENHOR tem feito por eles. Com efeito, grandes coisas fez o SENHOR por nós; por isso, estamos alegres.”
 
Satisfação é ter prazer e alegria de viver. Por meio de nossas atitudes, devemos buscar deixar a pessoa que nós amamos satisfeita. Quem ama cuida!
 
2ª) Talha da doação
 
Resultado de imagem para casal na cozinha
 
Para que o milagre acontecesse, alguém precisou doar as talhas.
 
O princípio do casamento é pautado em doação. Eva foi formada a partir da costela de Adão.
 
Gênesis 2.21 e 22: “Então, o SENHOR Deus fez cair pesado sono sobre o homem, e este adormeceu; tomou uma das suas costelas e fechou o lugar com carne. E a costela que o SENHOR Deus tomara ao homem, transformou-a numa mulher e lha trouxe.”
 
No casamento, é mais bem-aventurado dar do que receber!
 
3ª) Talha do respeito, da lealdade e da fidelidade
 
Resultado de imagem para fidelidade casal
 
1 Tessalonicenses 4.1 a 8: “Finalmente, irmãos, nós vos rogamos e exortamos no Senhor Jesus que, como de nós recebestes, quanto à maneira por que deveis viver e agradar a Deus, e efetivamente estais fazendo, continueis progredindo cada vez mais; porque estais inteirados de quantas instruções vos demos da parte do Senhor Jesus.
 
Pois esta é a vontade de Deus: a vossa santificação, que vos abstenhais da prostituição; que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação.
 
Dessarte, quem rejeita estas coisas não rejeita o homem, e sim a Deus, que também vos dá o seu Espírito Santo.”
 
Partindo do princípio espiritual de que somos templo do Espírito Santo, quando agredimos quem amamos, estamos ferindo nosso relacionamento com Deus;
 
Precisamos também entender que submissão não implica em machismo ou tirania. Precisamos sempre buscar andar em concordância.
 
4ª) Talha da amizade e do companheirismo 
 
 
Resultado de imagem para casal jogando videogame
 
Provérbios 18.24: “O homem que tem muitos amigos sai perdendo; mas há amigo mais chegado do que um irmão.”
 
Sua esposa é a sua melhor amiga! É ela quem te completa, quem te cura espiritualmente e quem te apoia.
 
5ª) Talha da intimidade
 
 
1 Coríntios 7.3 a 5: “O marido conceda à esposa o que lhe é devido, e também, semelhantemente, a esposa, ao seu marido. A mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher. Não vos priveis um ao outro, salvo talvez por mútuo consentimento, por algum tempo, para vos dedicardes à oração e, novamente, vos ajuntardes, para que Satanás não vos tente por causa da incontinência.”
  
A cura no casamento passa por uma vida sexual saudável, e o segredo para uma vida sexual saudável é o amor.
 
6ª) Talha da unidade
 
 
Amós 3.3: “Caminharão dois juntos se não concordarem?”
 
Deus não habita no meio da divisão.
 
Estes são os segredos para um casamento mais que vencedor!
 
Publicação 17/05/2018, Por Bispa Fê
Família

UM BATE-PAPO DE MÃE PARA MÃE

 
A imagem pode conter: 2 pessoas, flor
 
A Rede Gospel de Televisão e eu preparamos, com muito carinho, uma série especial para celebrar o “Mês das Mães”, com grandes exemplos de fé superação.
 
No primeiro episódio – exibido neste domingo (13) –, eu entrevisto uma grande amiga, a pastora e cantora Eyshila.
 
Ela abriu o coração e deixou uma mensagem para as mães que não podem estar mais com seus filhos.
 
Foi um bate-papo emocionante e inspirador. Gostaria de compartilhá-lo hoje com vocês:
 
 
 
 
 

 

Publicação 15/05/2018, Por Bispa Fê