Família

COMO DEIXAR OS FILHOS MAIS INDEPENDENTES?

 
Resultado de imagem para filhos independentes
 
É na fase da adolescência que a maioria dos jovens desperta uma vontade maior de ser independente: viajar sozinho nas férias, ter a liberdade de fazer mais coisas sem um adulto por perto... No entanto, incentivar essa independência nem sempre é algo tão fácil para os pais. A linha entre ser um pai participativo ou um pai que sufoca é muito tênue. Por isso, saber quando ajudar ou quando deixar o filho se virar é uma das principais questões para quem tem filhos nessa fase.
 
"Na verdade, nunca nos tornamos independentes. Na família, e até mesmo na sociedade, buscamos com freqüência a opinião de pessoas mais experientes, como os pais. O que podemos desejar para os nossos filhos é que eles consigam ter autonomia, ou seja, tenham liberdade e capacidade para decidir como pensar, ser e agir", diz Teresa Helena Schoen-Ferreira, psicóloga da Universidade Federal de São Paulo.
 
Tentar forçar o filho a uma mudança abrupta de comportamento e de rotina não é um bom caminho. Os pais que querem ver os seus filhos como jovens autônomos quando adolescentes - que saibam se virar sozinhos em viagens, por exemplo - precisam pensar nisso logo nos primeiros anos de vida da criança.
 
"Os pais devem entender que conseguir deixar o filho independente é um processo longo, que começa nas primeiras semanas de vida, e exige muito tempo e atenção, tanto do pai quanto da mãe", diz Teresa. Veja os conselhos dados pela psicóloga:
 
Primeiros anos
 
Segundo Teresa, pequenos hábitos incentivam a criança a ser independente - tanto fisicamente como psicologicamente - desde os primeiros meses de vida. "Deixar o filho brincar sozinho durante um tempo é muito importante, assim como sempre deixar os brinquedos onde ele possa pegá-los sozinho. Fazendo isso, ele se acostuma a passar tempo consigo mesmo e a fazer coisas sem depender de outra pessoa. É claro que o pai sempre tem de estar de olho, para a segurança da criança, mas não interagir com o seu filho durante um determinado período do dia, quando ele é criança, influenciará em sua personalidade quando for adolescente", diz Teresa.
 
Além disso, os pais têm que perceber que a criança precisa ter estímulos que desenvolvam a capacidade física, psicológica e motora, mesmo que os filhos não acertem de primeira. "Os pais normalmente protegem demais os filhos, não percebendo que alguns erros são necessários para o desenvolvimento da criança", explica a especialista.
 
Não existe uma idade certa, pois cada criança tem um desenvolvimento diferente, mas quando os pais perceberem que os filhos são capazes de fazer tarefas simples, como amarrar o sapato, colocar a roupa ou comer sozinho, devem incentivar os filhos a fazê-las.
 
Na adolescência
 
Na adolescência, o papel dos pais continua importante. Os pais não devem pensar que a idade traz consigo uma capacidade de ser independente. Também não podem simplesmente largar os filhos e esperar que eles sejam autônomos. A transição da infância para a adolescência precisa ser feita com calma e com o apoio dos pais, que devem deixar de controlar e passar a monitorar as ações dos filhos. "Nessa fase, os pais precisam conversar com o adolescente para conhecer as suas atividades, já que, em boa parte do dia, o jovem não estará na sua presença", diz Teresa.
 
Outro ponto importante apontado pela especialista é estabelecer uma mesada fixa. Aconselhar o filho a como usar o dinheiro e como anotar todos os gastos ajuda o adolescente a ter uma noção de responsabilidade e autocontrole, características essenciais de uma pessoa autônoma.
 
Amigos e família
 
A maioria dos pais não sente segurança na hora de começar a deixar o filho sair sozinho e acaba proibindo e adiando esse processo natural. Mas não sair com os amigos pode ser muito prejudicial ao adolescente. "Fazer parte de um grupo é muito importante em todas as fases da vida, mas é essencial na adolescência. Ter amigos traz segurança sem tirar a liberdade dos jovens", complementa Teresa.
 
É nas atividades em grupo que o adolescente aprende a como lidar com diferentes personalidades e traz um intercâmbio de informações muito maior do que a vivência exclusiva com os pais.
 
Uma boa saída para os pais mais preocupados é apelar para toda a família. A presença de parentes normalmente deixa os pais mais tranquilos, sem trazer desconforto ao adolescente. "Ir ao shopping com os pais pode ser o pior dos 'micos' para o adolescente, mas sair com o primo mais velho ou com um tio jovem é um evento diferente e interessante", diz Teresa.
 
Tanto amigos como família também podem ajudar em uma das principais oportunidades de incentivar o seu filho a ser autônomo: fazer viagens sem os pais. "Um jovem que passa as férias longe dos pais, como na casa dos avós, em algum acampamento ou na casa de algum amigo, é obrigado a conviver com a ausência dos pais por um longo período de tempo, e acaba desenvolvendo certo grau de autonomia", explica a especialista.
 
 
Informações: Minha Vida
Publicação 11/06/2018, Por Bispa Fê
+QV

EM QUAL ESPELHO VOCÊ TEM SE ENXERGADO?

 
Resultado de imagem para mulher se olhando no espelho
 
Quem é você? Em quem você se espalha? Qual imagem você tem refletido paras as pessoas? Será que sua autoimagem destorcida? Faça uma autoavaliação!
 
Todas nós vivemos para a terra com uma missão. Mas, muitas vezes, deixamos o ambiente que nos cerca determinar nossos comportamentos e, consequentemente, nossa identidade.
 
Quando Noemi saiu de Belém, ela tinha uma identidade. Era uma mulher casada, tinha dois filhos e uma excelente condição financeira. Era uma mulher abençoada. Mas, de repente, viveu uma série de calamidades. Ficou viúva, e seus dois filhos chegaram a casar, mas morreram antes de lhes dar netos.
 
De repente, ela se vê em uma condição miserável e somente com as duas noras, Rute e Noemi, que também estavam desoladas.
 
Hoje, vamos traçar o perfil destas três mulheres, para descobrirmos em qual espelho estamos nos enxergando.
  
1- O espelho de Orfa, a que desiste e faz tudo do seu jeito (Hebreus 10.39)
 
É aquela que, em meio às calamidades e às pressões, não enxerga possibilidades e que prioriza seus próprios interesses. Na primeira dificuldade, em vez de lutar pela família, covardemente os abandona.  
 
O casamento não mudou a identidade de Orfa. Apesar de ter sido casada, ela não era uma mulher de aliança. Assim como existem muitas mulheres casadas que continuam agindo como se fossem solteiras.
 
Quando estabelecemos uma aliança, ela nos transforma! Orfa não era transformada!
 
Precisamos entender que ninguém está livre de passar pelo dia da angústia! O Sol nasce para os bons e para os maus. Qual é a diferença? É a reação de cada um diante das lutas! A diferença é que aquele que tem uma aliança com Jesus luta e supera, mas aquele que quebrou a aliança é sucumbido pelos seus próprios erros.  
 
Não seja daquelas que retrocedem! Peça para que o Senhor renove suas forças e suas motivações.
  
2- O espelho de Noemi, aquela que assume a condição de derrotada (Filipenses 3.13)
 
Noemi perdeu o marido e os filhos. Para ela, a única coisa que restava era a morte. Depois daquela desgraça, ela perdeu a alegria de viver, deixou de sonhar, deixou de acreditar.
 
Eu não sei qual calamidade tirou o seu chão! Mas você não pode permitir que este mal se perpetue na sua vida! Seu chão é Jesus Cristo, ande firmada na rocha.
 
Existem muitas mulheres que venceram seus traumas, medos, dificuldades financeiras e preconceitos e se tornaram grandes exemplos de superação, porque fizeram uma aliança com a solução, não com o problema. Fizeram uma aliança com Deus.
 
Noemi deixou que aquela desgraça mudasse sua identidade. Ela queria que a chamassem de Mara (“Amarga”).
 
Quando você é curada na alma, tudo te faz bem porque sua confiança está em Deus! Mas, quando você insiste em permanecer enferma e amargurada, o mal prevalece e ocupa espaços na sua vida!
 
Nunca duvide da capacidade que Deus tem de nos restituir em tudo! Ele é o Deus dos tempos! Esse bom tempo que passou não vai te impedir de viver outros bons tempos! Deus tem para nós novas alegrias e novas conquistas.
  
3- O espelho de Rute, aquela que confia em Deus e faz d’Ele a solução (Deuteronômio 30.19 e 20)
 
Quando Rute casou, ela estabeleceu uma aliança, ou seja, mudou de identidade! O povo daquela família passou a ser o seu povo. O Deus daquela família passou a ser o seu Deus! Ela criou raízes.
 
Mesmo com a sogra em um estágio avançado de depressão, mesmo enlutada e mesmo com tantas dificuldades, Rute não desistiu, fez o que pode para sustentar a parte da família que sobrou.
 
Certo dia, enquanto aproveitava os tempos de colheita para mendigar, Deus a colocou no campo de Boaz, um homem rico, poderoso e muito generoso, que ficou impressionado e admirado com o esforço dela e, por isso, começou a abençoá-la.
 
Ao contar para a sogra como conseguiu o suprimento para sua casa, Rute descobriu que Boaz era parente de Noemi, ou seja, ele poderia resgatá-las e sustentá-las – como era de costume na época.
 
Boaz casou com Rute, e a situação dela e, consequentemente, a de Noemi, mudaram. Ela teve um casamento muito feliz.
 
Ela entregou seu primeiro filho, Obede, para a sua eterna sogra criar. Sabe quem foi Obede? Avô de Davi, o maior rei de Israel, que, inclusive, entrou para a genealogia de Jesus!
 
Rute não só gerou filhos, mas gerou uma nação e foi um instrumento de restituição para Noemi!
 
A mulher que se enxerga no espelho de Deus vence todas as dificuldades!
 
Que, a partir de hoje, você escolha ser como Rute!
Publicação 11/06/2018, Por Bispa Fê
+QV

"DEUS TE LEVANTOU PARA QUE VOCÊ MANIFESTE A GLÓRIA DELE!

 

Neste sábado (09), aconteceu o Encontro Mensal de Mulheres Mais que Vencedoras (+QV). O evento foi transmitido ao vivo da sede Renascer Hall para todas as igrejas Renascer em Cristo, pela Rede Gospel de Televisão e via YouTube.

 
A imagem pode conter: 18 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em p�?©
 
Depois dos louvores do Renascer Praise, de testemunhos edificantes das participantes do projeto +QV e de um bate-papo esclarecedor, as bispas Sonia e Fernanda Hernandes trouxeram uma mensagem inspiradora. Acompanhe, a seguir, o resumo:
 
A imagem pode conter: 9 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em p�?©
 
Tema da reunião: Minha Boca +QV
 
Texto-base: 2 Timóteo 2.21: “Assim, pois, se alguém a si mesmo se purificar destes erros, será utensílio para honra, santificado e útil ao seu possuidor, estando preparado para toda boa obra.”
 
Paulo explica, figurativamente, que somos como utensílios nas mãos do Senhor. Mas ele deixa claro que podemos ser instrumentos para honra ou para desonra. O que vai determinar a nossa diferenciação é a nossa purificação e integridade.
 
A nossa boca é o produto final dos nossos sentimentos e pensamentos! Ela transmite o que há dentro de nós e o que queremos expressar.
 
A nossa boca pode ser um grande instrumento de guerra. Existem muitas mulheres na Bíblica que venceram batalhas apenas com suas palavras. Débora e Ana são dois grandes exemplos.
 
A nossa boca também pode ser um instrumento de destruição. Quantas vezes, sofremos humilhações, provocações e afrontas? Quantas vezes, apenas uma palavra já foi o suficiente para acabar com o nosso dia. Mas nós estamos aqui, porque uma mulher se levantou para falar da Palavra de Deus para nós!
 
Para professarmos as palavras certas, para que sejamos um instrumento de bênção para outras pessoas, precisamos ter os nossos sentimentos e pensamentos purificados.  Que tal começar com uma oração?
 
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e sapatos
 
“Senhor, eu declaro que sou a mulher que resolveu estar e viver em aliança com Deus, abrindo as portas do templo do meu coração e tirando tudo que está ocupando o primeiro lugar, que é do Senhor. Hoje, eu me levanto para restaurar o meu altar de orações, louvor e ofertas, para que a glória de Deus se manifeste!
 
Declaro que tudo o que foi destruído, roubado, morto e retido me será liberado 100 vezes mais. Peço para que o Espírito Santo me convença e me dirija, para que eu seja o lugar onde Deus habita!
 
Hoje, eu declaro que sou limpa e purificada, e que eu manifestarei a glória do Senhor aqui na terra! Quebro toda a imagem deformada, descaracterizada, enferma e pecaminosa que Satanás quis imprimir em minha vida, e me levanto para refletir Jesus Cristo e Sua glória!
 
Declaro que sou como Débora, a mulher que vai aos lugares altos para vencer batalhas impossíveis, levando meus amados comigo.  Declaro que sou como Jael, aquela que, com armas espirituais e ousadia, venceu o inimigo.
 
Eu declaro que as forças do mal não terão mais autoridade em minha casa e que tudo posso naquele que me fortalece! Hoje, eu consagro a minha boca, para que ela expresse somente a verdade de Deus para todas as áreas da minha vida, no meu bairro, na minha cidade e na minha nação. Declaro que sou a mulher sábia e liberta, que desejou estar com o Rei Jesus!”.
 
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multid�?£o e �?¡rea interna
 
Na guerra entre carne e espírito, qual seria a influência da nossa boca?
 
Como aprendemos, a boca expressa nossos sentimentos, pensamentos e vontades. A nossa mente comporta nossos pensamentos e, nem sempre, a origem destes pensamentos está em Deus! Mas a Palavra nos ensina que os nossos pensamentos podem, sim, ser os mesmos pensamentos do Senhor.
 
1 Coríntios 2.13 a 16: “Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais. Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo.”
 
Da mesma forma, nossa vontade pode expressar os nossos desejos, mas também podem expressar os planos de Deus!
 
Em seu momento de dor, o desejo de Jesus Cristo foi o cumprimento da missão que o Senhor havia lhe dado: “Seja feita a Tua vontade!”.
 
Para que a nossa boca expresse o que o Senhor quer transmitir através de nós, precisamos condicionar nossos sentimentos, ou seja, eles precisam ser “moldados” de acordo com os sentimentos de Cristo! Assim, teremos as mesmas reações que Ele tem!
 
Muitas vezes, estre “treino” consiste em agirmos diferente do que sentimos! E vez de ser impulsivas e reativas, precisamos ser sábias e estratégicas! Não podemos nos igualar aos nossos inimigos!  
 
Muitas vezes, os nossos maiores inimigos somos nós mesmas, porque insistimos em alimentar o que traz dor, em vez de alimentar o que pode nos dar vida!
 
A resultante da união entre os meus sentimentos carnais e a minha memória de dor é a destruição. Por isso que este “treino” também consiste em você deixar o seu passado definitivamente para trás!
 
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas e texto
 
Como mudar meus pensamentos? Como controlar minha boca? Como ter meus sentimentos transformados? Como ser definitivamente dirigida pelo Espírito Santo?
 
- Precisamos identificar e resistir aos gatilhos, ou seja, ao que nos leva a tomar determinadas atitudes!
 
Como? Tendo uma comunhão profunda com Deus e fazendo da Palavra d’Ele a nossa verdade!
 
Precisamos identificar e guerrear contra os nossos verdadeiros adversários! A nossa guerra não é contra pessoas, mas contra principados, potestades e dominadores!
 
Precisamos parar de agir como vítimas e começar a agir como vitoriosas! Precisamos mudar nossas percepções! Não é “mais um dia”, é “menos um dia”. Cada dia que passa, nós estamos mais próximas das nossas promessas!
 
- Precisamos nos entregar para que o plano de Deus se cumpra!
 
Como? Em jejum e em oração, sabendo que Ele tem planos superiores para a sua vida!
 
- Precisamos desejar que a nossa boca expresse o sentimento, o pensamento e a vontade do Senhor!
 
Mas, para isso, a nossa purificação precisa ser diária!
 
- Para que nossa boca seja um instrumento de edificação, a nossa fonte de alegria precisa ser o Senhor! Este foi o segredo de Abigail.
 
1 Samuel 25.24 ao 31 e 39: “Lançou-se-lhe aos pés e disse: Ah! Senhor meu, caia a culpa sobre mim; permite falar a tua serva contigo e ouve as palavras da tua serva. Não se importe o meu senhor com este homem de Belial, a saber, com Nabal; porque o que significa o seu nome ele é. Nabal é o seu nome, e a loucura está com ele; eu, porém, tua serva, não vi os moços de meu senhor, que enviaste. Agora, pois, meu senhor, tão certo como vive o SENHOR e a tua alma, foste pelo SENHOR impedido de derramar sangue e de vingar-te por tuas próprias mãos. Como Nabal, sejam os teus inimigos e os que procuram fazer mal ao meu senhor.
 
Este é o presente que trouxe a tua serva a meu senhor; seja ele dado aos moços que seguem ao meu senhor. Perdoa a transgressão da tua serva; pois, de fato, o SENHOR te fará casa firme, porque pelejas as batalhas do SENHOR, e não se ache mal em ti por todos os teus dias. Se algum homem se levantar para te perseguir e buscar a tua vida, então, a tua vida será atada no feixe dos que vivem com o SENHOR, teu Deus; porém a vida de teus inimigos, este a arrojará como se a atirasse da cavidade de uma funda.
 
E há de ser que, usando o SENHOR contigo segundo todo o bem que tem dito a teu respeito e te houver estabelecido príncipe sobre Israel, então, meu senhor, não te será por tropeço, nem por pesar ao coração o sangue que, sem causa, vieres a derramar e o te haveres vingado com as tuas próprias mãos; quando o SENHOR te houver feito o bem, lembrar-te-ás da tua serva.
 
Ouvindo Davi que Nabal morrera, disse: Bendito seja o SENHOR, que pleiteou a causa da afronta que recebi de Nabal e me deteve de fazer o mal, fazendo o SENHOR cair o mal de Nabal sobre a sua cabeça. Mandou Davi falar a Abigail que desejava tomá-la por mulher.”
 
Nabal significa “insensato e estupido” e Abigail significa “aquela a quem Deus alegra”.
 
Abigail vivia em um ambiente de opressão e de violência, mas ela fez a escolha certa de pagar o mal com o bem.
 
O natural é agredirmos quando somos agredidas! Mas o trabalhar do Senhor em nós passa pela sabedoria e pela mansidão.
 
Deus não nos levantou para sermos acusadoras, mas para edificarmos! Todas as vezes em que nos levantamos para acusar nossos maridos, por exemplo, passamos a cooperar para que o plano de Satanás se cumpra em nossos casamento!
 
- Para que nossa boca seja um instrumento de edificação, precisamos passar pelo fogo de Deus, que nos purifica e nos torna mais maduras, assim como ocorreu com o profeta Isaías.
 
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multid�?£o e �?¡rea interna
 
- Precisamos aprender a usar o silêncio ao nosso favor.
 
Precisamos abandonar o hábito de murmurar, porque a murmuração atrai o exterminador! Precisamos aquietar nossa alma!
 
- Precisamos deixar que o Senhor tome à frente de nossas batalhas, ou seja transformar o nossos ambientes de conflito no nosso “quarto de guerra”.
 
- Precisamos estar abertas para ouvir a voz de Deus.
 
- Precisamos fazer de nossas palavras boas sementes!  
 
Provérbios 18.20: “Do fruto da boca o coração se farta; a língua faz todo o corpo responsável pelas consequências de suas palavras!”
 
- Precisamos aprender a declarar as verdades da palavra e louvar a Deus!
 
Maria foi escolhida para gerar Jesus, e ela expressou sua gratidão em um lindo cântico.
 
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, no palco, em p�?© e show
 
Lucas 1.46 a 55: “Então, disse Maria: A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador, porque contemplou na humildade da sua serva. Pois, desde agora, todas as gerações me considerarão bem-aventurada, porque o Poderoso me fez grandes coisas. Santo é o seu nome.
 
A sua misericórdia vai de geração em geração sobre os que o temem. Agiu com o seu braço valorosamente; dispersou os que, no coração, alimentavam pensamentos soberbos. Derribou do seu trono os poderosos e exaltou os humildes. Encheu de bens os famintos e despediu vazios os ricos. Amparou a Israel, seu servo, a fim de lembrar-se da sua misericórdia a favor de Abraão e de sua descendência, para sempre, como prometera aos nossos pais.”
 
 
Redação iGospel
Fotos: Sarah Brito
Publicação 09/06/2018, Por Assessoria
Vídeos

UM BATE-PAPO COM MEU IRMÃO CLÓVIS PINHO

 
Nos bastidores da Marcha para Jesus, eu tive a alegria de entrevistar um grande amigo e um grande irmão: Clóvis Pinho.
 
E, hoje, eu separei um tempinho para compartilhar o vídeo com vocês:
 
Publicação 08/06/2018, Por Bispa Fê