Siga-me

Navegue por categoria

Últimos posts

COMO TOMAR BOAS DECISÕES?

Muitas pessoas vêm nos procurar, não para pedir um conselho, mas para que decidamos por elas… É a lei da terceirização. Ninguém quer assumir a responsabilidade de uma escolha errada!

Mas, infelizmente, existem coisas que só dependem de nós!

O livro de Rute é marcado por escolhas e consequências!

Vamos meditar hoje sobre isso!

Rute 1.15 a 18: “Disse Noemi: Eis que tua cunhada voltou ao seu povo e aos seus deuses; também tu, volta após a tua cunhada. Disse, porém, Rute: Não me instes para que te deixe e me obrigue a não seguir-te; porque, aonde quer que fores, irei eu e, onde quer que pousares, ali pousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu Deus é o meu Deus. Onde quer que morreres, morrerei eu e aí serei sepultada; faça-me o Senhor o que bem lhe aprouver, se outra coisa que não seja a morte me separar de ti. Vendo, pois, Noemi que de todo estava resolvida a acompanhá-la, deixou de insistir com ela.”

Depois tantas tragédias, essas três mulheres – Noemi, Rute e Orfa – decidiram continuar juntas, pois se amavam muito! Mas, nesta jornada rumo à terra de Judá, Noemi as liberou, pois não tinha mais nada para oferecer!

Orfa decidiu voltar para Moabe, pois, naquele contexto, era a melhor opção. Ali, ela poderia reconstruir sua vida, ao lado de seus outros parentes.

Mas Rute toma uma decisão surpreendente: permanecer ao lado da sogra, ainda que não tivesse perspectivas de futuro.

Humanamente falando, Rute fez a pior escolha! Ela não era judia, ou seja, em Belém, não poderia nem estar na condição de mendiga! Ela chegou naquela terra estranha sem ter onde morar, sem ter o que vestir, sem ter o que comer…

Mas, pensando bem, ela ficou “na pior” por quanto tempo? Rute escolheu tomar uma decisão espiritual… E isso foi fundamental para que ela fosse restaurada e restituída em tudo!

Precisamos ter consciência de que nossas decisões constroem o nosso futuro. Não existem decisões sem consequências. Nossas decisões definem quem nós somos e para onde iremos!

Mas, afinal, que nos leva a tomar péssimas decisões?

– Ausência de valores morais e espirituais;

Quando achamos, por exemplo, que mentir não tem problema!

– Insegurança;

Este sentimento se manifesta em pessoas que foram muito achatadas, que foram vítimas de abusos e atos violentos.

Quando somos dominados pela insegurança, acabamos assumindo culpas que não são nossas. Tornamo-nos massa de manobra nas mãos de pessoas perversas, que se aproveitam dos nossos pontos fracos para nos provocar, oprimir, dominar e drenar nossas forças.

De repente, perdemos a consciência de quem nós somos e, consequentemente, a capacidade de tomar decisões. Mas, hoje, o Senhor vai te restaurar e te fortalecer!

Se você está em um relacionamento abusivo, fora da vontade de Deus, lembre-se do que está escrito em:

Colossenses 1.13 e 14: “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor, no qual temos a redenção, a remissão dos pecados.”

– Ansiedade e medo;

Isso ocorre quando não nos sentimos amados!

Faça o seguinte exercício: Escrava em um papel os seus medos… Olhe para cada um deles e declare Filipenses 4.13: “Tudo posso naquele que me fortalece”.

– Baixa autoestima;

Quando você acaba se anulando e deixando sempre que alguém decida por você.

– Arrogância;

Autoconfiança é diferente de autossuficiência!

Lembre-se de que a humildade é uma das principais marcas dos sábios!

Mas, afinal como tomar a decisão certa?

Se você fez escolhas errada, humilhe-se na presença do Senhor! Você não pode mudar o passado, mas pode construir um bom futuro! Comece pedindo sabedoria para Deus.

Tiago 1.5: “Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida.”

Escolhas envolvem renúncias. Você precisa decidir quais vozes vão te guiar. Deixar a carne berrar, diminui a esfera de ação do Espírito Santo na sua vida!

Quando a sua decisão agrada, honra e coopera para o plano de Deus, tenha a certeza de que ela te levará a viver o bom, o perfeito e o agradável! Este foi o segredo de Rute! Outra grande marca dela foi a perseverança…

Tiago 1.2 a 4: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes.”

Precisamos aprender a colocar nossas vidas nas mãos do Senhor e ter consciência de que a melhor decisão é aquela que vem com a aprovação d’Ele, ainda que, humanamente, não faça sentido!

Rute permaneceu “na pior”? Não! Casou com um homem poderoso, formou uma família e entrou para a genealogia de Davi e, consequentemente, para a de Jesus Cristo!

You Might Also Like