Siga-me

Navegue por categoria

Últimos posts

AS VISITAS NO PÓS-PARTO: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER!

Estou prestes a dar à luz ao meu 4º filho… Por isso, tenho compartilhado aqui no meu blog e no meu canal no YouTube minhas experiências nessa jornada incrível e única que é a maternidade.

Hoje, eu quero falar um pouquinho sobre as visitas no pós-parto!

Finalmente, o bebezinho chegou! É natural todos quererem conhecê-lo e desfrutar deste lindo momento ao seu lado.

No vídeo abaixo, eu deixo algumas dicas para as mamães que não sabem lidar com este momento:

Para finalizar este post, vou deixar algumas regrinhas básicas que os amigos e os familiares precisam saber, segundo a Revista Crescer:

Ligue antes. Sempre.

Visitas surpresas nem sempre são agradáveis. Com um recém-nascido em casa, então, pior ainda. Ligue antes de aparecer e combine com a família o melhor horário. O bebê ainda não tem horários definidos para dormir e você pode tocar a campainha bem na hora da soneca, que também é um dos poucos momentos que a mãe tem para aproveitar e descansar.

Alimente-se antes de chegar e evite ir em horários de refeições

Quando nasce um bebê, a rotina da família se altera de tal forma que fazer uma refeição completa representa quase um milagre. Fazer uma refeição completa, sem deixar a comida esfriar é mais raro ainda. Então, evite combinar visitas em horário de almoço ou jantar. Mesmo que você deixe claro que não espera que os anfitriões sirvam nada, eles podem se sentir frustrados por não conseguirem oferecer algo. Além disso, você pode chegar bem na hora em que eles próprios estão comendo. Uma boa alternativa é fazer a visita e levar uma comida pronta, para oferecer aos pais, que nem sempre têm tempo de cozinhar.

Não leve crianças

Se você tiver outra opção, não leve crianças para visitar o recém-nascido. Isso porque os pequenos podem fazer muito barulho ou querer pegar o bebê e beijá-lo sem parar, deixando os novos pais em desespero e você em uma situação constrangedora. É o comportamento normal e esperado. No entanto, talvez as primeiras semanas não sejam o momento adequado para iniciar a convivência. É mais garantido aguardar alguns meses.

Não vá se estiver doente

Esse tópico dispensa explicações, mas, mesmo assim, é bom lembrar. Como o bebê acaba de chegar ao mundo, ainda não tem o sistema imunológico completamente desenvolvido, nem tomou todas as vacinas. Por isso, ele fica mais suscetível a ação de vírus e bactérias. Melhor se recuperar totalmente antes de conhecer o recém-nascido.

Não fume e não use perfumes

O olfato do bebê é muito sensível. Sem falar na possibilidade de ele ter uma série de alergias ou restrições, que ainda não foram diagnosticadas. Por isso, é de bom tom evitar expor a criança a cheios desnecessários. Não fume antes (e muito menos durante) da visita e esqueça os perfumes fortes. Melhor ainda se você esquecer os perfumes em geral.

Higiene reforçada

A maior parte das mães de recém-nascidos deixa bem aparente para as visitas um frasco de álcool-gel. Não é frescura, nem exagero. Se elas disponibilizam o produto, é porque querem que você use, principalmente antes de pegar o bebê. Não custa, né? Mesmo que elas não tenham um pote para oferecer, lembre-se de lavar sempre as mãos, para proteger o bebê.

Visitas rápidas

Visitar um recém-nascido significa, sim, que você se importa com ele, com a mãe e com o pai. Não dá para negar que é um sinal de carinho. Porém, para demonstrar toda a sua gentileza, você não precisa ficar horas e horas. O bebê pode ter tido cólica a noite inteira e, muitas vezes, os pais precisam descansar, em vez de fazer sala. A não ser, é claro, que eles peçam para você ficar – e aí, cabe a você a sensibilidade de interpretar se o pedido é real ou se foi feito apenas por educação.

Não peça para a mãe acordar o bebê

Sono de recém-nascido é sagrado. Pelo menos para os pais que passam dias e noites acordados, esperando ansiosamente pelo momento em que o bebê finalmente fecha os olhos e descansa. Assim, eles também podem dormir um pouco ou fazer outras atividades. Por isso, se bem na sua hora de fazer a visita a criança estiver dormindo, nem cogite a possibilidade de pedir aos pais que o acordem.

Não pegue na mão do bebê, não beije e nem pegue no colo, caso a mãe não queira

Você já reparou no número de objetos em que você encosta as mãos todos os dias? Chaves, paredes, dinheiros, celulares… Enfim, uma infinidade de itens que, para nós, adultos, são comuns, mas que, para recém-nascidos desprotegidos, podem ser fontes de vírus e bactérias. E bebês vivem colocando as mãos na boca. Então, evite pegar nos dedinhos do pequeno e também não o beije. Pegar no colo, só se a mãe oferecer.

Mão na massa

Se você for minimamente íntimo do casal, não pense duas vezes antes de arregaçar as mangas. Depois de ver o rostinho do bebê e de parabenizar os pais, faça o que puder para ajudá-los em casa. Lavar uma louça, passar uma vassoura no chão, estender a roupa que está dentro da máquina há um tempão ou até deixar uma comidinha pronta são tarefas simples e que se acumulam, por conta das novas demandas da família. Se for um amigo bem próximo ou da família, você também pode se oferecer para cuidar do bebê enquanto a mãe toma um banho ou faz uma refeição ou, então, levar o filho mais velho, se o casal tiver um, para dar um passeio. Acredite: estes serão os melhores presentes que você pode dar.

Segure os conselhos e palpites

Tudo o que uma nova mãe não precisa é de palpites. Nunca. Nem mesmo quando seu filho for mais velho. Mas, principalmente, nessas primeiras semanas, quando ela ainda está se adaptando ao novo papel, conselhos inconvenientes podem deixá-la irritada, insegura, triste… A reação depende do temperamento de cada uma. Portanto, evite ao máximo frases como “Dá uma mamadeira. Esse bebê deve estar com fome”, “Coloque ele no berço, se não vai ficar mal acostumado” ou “Deixa ele chorar um pouco. Faz bem para os pulmões”.

Não tire fotos, se a mãe não permitir

A gente entende que aquele rostinho é muito fofo, assim como a mãozinha, a roupinha e os cabelos e que, por isso, a vontade de fazer uma foto e postar nas redes sociais, para compartilhar com o mundo, é quase incontrolável. Mas segure-se! Só tire fotos e publique na internet se os pais permitirem. Ainda assim, evite o uso de flashes, que podem incomodar o bebê.

Não é festa, a não ser que a mãe queira

Se ao chegar na casa da nova família, você perceber que eles já estão com outras visitas, veja se não é melhor voltar outro dia. Muita gente conversando ao mesmo tempo pode deixar o bebê – e consequentemente seus pais – estressados. No entanto, algumas famílias têm preferido marcar um só dia e organizar uma pequena recepção, para que as pessoas conheçam a criança em um dia só. O encontro costuma ser marcado quando o bebê já tem três ou quatro meses. Assim, a mãe já está mais tranquila e consegue se preparar melhor. É uma maneira de não precisar se preocupar quando o bebê ainda é muito novinho e não ficar recebendo visitas todos os dias.

Hora de amamentar = hora de ir embora

Fique esperto. Se perceber que o bebê está reclamando e que pode ser fome, esse pode ser um sinal de que é momento de se despedir. Algumas mulheres se sentem constrangidas e preferem amamentar o bebê sozinhas, de maneira reservada. Principalmente no início, quando muitas não têm tanta prática, elas podem se atrapalhar e ficar inseguras ao oferecer o peito para o bebê. Fazer isso na frente de outras pessoas pode potencializar as dificuldades. Na dúvida, é melhor aproveitar para ir embora. Ou, então, ofereça para sair do local.

You Might Also Like