Siga-me

Navegue por categoria

Últimos posts

Não me sinto aceita na igreja

Como eu prometi, eu tenho separado um espaço no meu blog para tirar dúvidas, à luz da Palavra e segundo as experiências que eu tive com Deus.

A querida Sophia, do Rio de Janeiro, nos autorizou a divulgar a história dela. Tenho certeza de que isso ajudará muitas outras meninas que enfrentam o mesmo problema.

Vou compartilhar um trechinho:

Não sou da Renascer, mas tenho acompanhado o seu blog. E gostaria que você me ajudasse. Tenho 15 anos, sou negra e gordinha. Me sinto muito excluída e desprezada por causa da minha aparência. Nos eventos, eu sempre fico sozinha. Estou pensando em não ir mais, porque eu sinto mais amor fora do que dentro da casa do meu Pai. O que eu faço?

Meu conselho…

Olha, não tem como responder esta questão sem tocar em dois assuntos complexos: traumas e preconceito.

Para você vencê-los, é necessário, em primeiro lugar, separá-los em suas emoções, porque um tem a ver com a percepção que nós temos do mundo e outro diz respeito à realidade.

Os nossos sentimentos determinam o nosso bem estar! Precisamos ter consciência de que a alegria e a felicidade são sensações que devem brotar do nosso interior, independente da realidade que nos cerca.

Quando temos problemas com a nossa autoestima, quando não nos aceitamos, nós acabamos caindo em uma armadilha! Por quê? Porque sempre seremos dependentes da aprovação dos outros para que a nossa identidade seja construída.

Sophia, você é jovem e está em uma fase de definições. Você precisa se blindar emocionalmente para não ser ferida e para não carregar marcas desnecessárias para o resto da vida.

É natural que você queira pertencer a determinados grupos. Mas a sua aparência não interfere nisso. As pessoas se relacionam de acordo com afinidades.

Por exemplo, eu adoro ler! Obviamente, eu vou ter muito mais assunto com outras pessoas que têm este hábito.

Eu, por exemplo, faço exercícios por uma questão de saúde, não para alcançar determinado resultado. Então, a academia não é um ambiente onde me sinto à vontade. Eu me sinto diferente dos outros. É como se eu não pertencesse àquela realidade. Não me encaixo, mas isso não significa que existe algo de errado em mim ou nas outras pessoas.

Antes de tirar conclusões, você precisa entender que talvez você queira se encaixar em um grupo de pessoas que não têm os mesmos interesses que você. É como uma peça que não se encaixa em um determinado quadrante do quebra-cabeça. Talvez, você se encaixe na pontinha, ou no centro…

Então, não se sinta excluída! A igreja é um ambiente democrático! Ela reúne pessoas de todos os estilos, classes, etnias… Porque o que nós temos em comum é maior do que todas as nossas diferenças!

Eu tenho certeza de que você vai encontrar um grupo de pessoas que gostam das mesmas atividades que você e que tenham os mesmos interesses! Você vai ver que tudo vai fluir melhor.

Uma boa dica é você procurar entrar em ministérios que tenham a ver com a sua personalidade. Se você gosta de dançar, você pode entrar no ministério de dança. Se você gosta de cantar, você pode entrar no louvor. Se você ama ajudar o próximo, você pode entrar em algum projeto social.

Até que você encontre “o grupo”, é importante entender que você não pode sofrer com a não aceitação! Você precisa olhar para dentro, reconhecer o seu valor e tirar da sua cabeça aquela ideia de que você só seria feliz se tivesse aquele cabelo, aquele corpo, aquela altura… O que adianta ser linda por fora, mas ser podre por dentro? E quem disse que você não é linda?

O meu conselho é: em vez de se isolar, procure mostrar para as pessoas as suas virtudes, o seu valor. Você já parou para pensar que o que pode estar despertando o desinteresse nas pessoas em você seja o seu jeito? A amargura e o mau humor só afastam as pessoas, porque elas já estão tão mergulhadas nos seus próprios problemas, que elas não querem ainda ter que lidar com os nossos.

Eu sei que a gente só quer ir à igreja para ser abraçado, mas precisamos entender que as outras pessoas também têm as suas carências.

O meu desejo é que a fonte da sua felicidade e da sua suficiência seja Jesus Cristo! Você é filha de Deus! Quando nós entendemos quem somos n´Ele, nada nos abala! Se você está indo à igreja com o objetivo de agradar os outros, tem alguma coisa errada, você não acha? O que importa é agradar a Deus! O seu culto é para Ele!

E em relação aos eventos? Uma boa dica é participar da organização! Toda a ajuda é bem-vinda! Envolvimento gera desenvolvimento! Além de desenvolver seu ministério, você vai desenvolver novos e surpreendentes relacionamentos. Você é uma princesa, então, quebre as barreiras do preconceito com a sua nobreza!

Antes de sair de casa, faça uma autoanalise: “Será que eu estou sentindo o que Deus quer que eu sinta? Será que este pensamento que eu estou alimentando vem d´Ele ou do meu medo de não ser aceita? Será que eu tenho tratado as pessoas como Ele gostaria que eu tratasse? Será que eu estou me enxergando como Ele me enxerga?”.

Em vez de se isolar e ficar encarcerada nesta prisão emocional, seja uma pessoa leve, divertida, participativa, hospitaleira… E lembre-se de que você é linda e que o Senhor tem uma grande plano para realizar através da sua vida!

No Comments

    Leave a Reply