Siga-me

Navegue por categoria

Últimos posts

Acho que nem adianta mais orar

João 11.17 a 45: “Chegando Jesus, encontrou Lázaro já sepultado, havia quatro dias. Ora, Betânia estava cerca de quinze estádios perto de Jerusalém. Muitos dentre os judeus tinham vindo ter com Marta e Maria, para as consolar a respeito de seu irmão. Marta, quando soube que vinha Jesus, saiu ao seu encontro; Maria, porém, ficou sentada em casa. Disse, pois, Marta a Jesus: Senhor, se estiveras aqui, não teria morrido meu irmão.

Mas também sei que, mesmo agora, tudo quanto pedires a Deus, Deus to concederá. Declarou-lhe Jesus: Teu irmão há de ressurgir. Eu sei, replicou Marta, que ele há de ressurgir na ressurreição, no último dia. Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá; e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?

Sim, Senhor, respondeu ela, eu tenho crido que tu és o Cristo, o Filho de Deus que devia vir ao mundo. Tendo dito isto, retirou-se e chamou Maria, sua irmã, e lhe disse em particular: O Mestre chegou e te chama. Ela, ouvindo isto, levantou-se depressa e foi ter com ele,
30 pois Jesus ainda não tinha entrado na aldeia, mas permanecia onde Marta se avistara com ele. Os judeus que estavam com Maria em casa e a consolavam, vendo-a levantar-se depressa e sair, seguiram-na, supondo que ela ia ao túmulo para chorar. Quando Maria chegou ao lugar onde estava Jesus, ao vê-lo, lançou-se-lhe aos pés, dizendo: Senhor, se estiveras aqui, meu irmão não teria morrido.

Jesus, vendo-a chorar, e bem assim os judeus que a acompanhavam, agitou-se no espírito e comoveu-se. E perguntou: Onde o sepultastes? Eles lhe responderam: Senhor, vem e vê! Jesus chorou. Então, disseram os judeus: Vede quanto o amava. Mas alguns objetaram: Não podia ele, que abriu os olhos ao cego, fazer que este não morresse? Jesus, agitando-se novamente em si mesmo, encaminhou-se para o túmulo; era este uma gruta a cuja entrada tinham posto uma pedra.

Então, ordenou Jesus: Tirai a pedra. Disse-lhe Marta, irmã do morto: Senhor, já cheira mal, porque já é de quatro dias. Respondeu-lhe Jesus: Não te disse eu que, se creres, verás a glória de Deus? Tiraram, então, a pedra. E Jesus, levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me ouviste. Aliás, eu sabia que sempre me ouves, mas assim falei por causa da multidão presente, para que creiam que tu me enviaste.

E, tendo dito isto, clamou em alta voz: Lázaro, vem para fora! Saiu aquele que estivera morto, tendo os pés e as mãos ligados com ataduras e o rosto envolto num lenço. Então, lhes ordenou Jesus: Desatai-o e deixai-o ir. Muitos, pois, dentre os judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que fizera Jesus, creram nele.”

Existem muitas situações que o inimigo vai colocar na sua frente, para te fazer acreditar que não adianta mais lutar, pedir, orar ou esperar no Senhor.

Muitas vezes, diante das dificuldades que nos cercam, sentimo-nos abandonados por Deus: “Se o Senhor realmente estivesse ao meu lado, eu não passaria por isso! Se o Senhor realmente me amasse, não permitiria que eu perdesse quem eu amo. Eu entreguei minha vida a Ti, e olha o que aconteceu!?”.

Este foi o sentimento de Marta. Ela enxergava apenas uma solução para aquele problema. Para ela, tudo estava perdido. Lázaro estava morto, e não havia nada que pudesse ser feito.

Eu acredito que existe em cada um de nós um pouco de Marta e Maria, porque, ao mesmo tempo em que temos aquele ímpeto de questionar, também temos um coração disposto a buscar.

Jesus estava apenas caminhando em direção à missão que havia recebido de Deus. Já estava nos planos d’Ele trazer Lázaro de volta à vida, mas a precipitação e os questionamentos de Marta atrasaram aquele processo.

Quando, em vez de esperarmos no Senhor, o acusamos, o cobramos e o questionamos, acabamos prolongando ainda mais o nosso sofrimento.

Maria, quando soube que Jesus havia parado no meio do caminho, também o abordou, mas de uma maneira diferente – apesar de ter usado as mesmas palavras de Marta. Ela se prostrou e O adorou!

Sabe, é tão bom ficarmos de joelhos aos pés de Jesus, porque nos lembramos de onde nós viemos. Deus nos formou do pó da terra, e é para lá que nós voltaremos!

Maria e Marta estavam sofrendo a perda do seu irmão… Mas a disposição interior delas era diferente. Jesus as tranquilizou e disse que Sua glória se manifestaria.

Talvez, hoje, diante desta perda, deste desafio, desta traição, desta injustiça e deste abandono, você pense que o Senhor não está ouvindo suas orações e que Ele é indiferente aos seus sofrimentos. Mas isso é uma grande mentira.

Deus não está preocupado em apenas atender um pedido para que, simplesmente, você sinta a satisfação de um milagre realizado, Ele sempre tem propósitos superiores – não só para as nossas vidas, mas para a vida daqueles que estão ao nosso redor.

Deus não queria apenas curar Lázaro, mas queria que, por meio de Jesus Cristo, mostrar a todos que Ele tem o poder da ressurreição.

Lázaro era um milagre vivo! Ele saiu daquele túmulo para mostrar e anunciar que, em Deus, não existem situações irreversíveis. E que existe, sim, um caminho além dessa dor!

Que este poder de ressurreição entre na sua vida, restaurando tudo o que estava destruído. E que você passa caminhar em direção ao novo tempo que Ele preparou para você.

Não deixe de orar, porque a oração:

– Nos aproxima do Senhor, que é o nosso pai e melhor amigo;

– Não muda Deus, mas muda quem ora;

– É capacidade espiritual de atingir situações e pessoas, mesmo quando estão a milhões de quilômetros de distância;

– É uma arma espiritual de guerra que tem ação nas regiões celestiais;

– Nos mantem vivos espiritualmente;

– Nos protege e nos fortalece em dias de guerra;

– Traz à existência o que não existe.

Este é o recadinho que eu tenho para vocês nesta quinta-feira!

You Might Also Like

No Comments

    Leave a Reply