Siga-me

Navegue por categoria

Últimos posts

Série “As bem-aventuranças”: os misericórdiosos jamais serão esquecidos!

Depois de muitos pedidos, eu decidi publicar uma série no meu blog, destacando alguns pontos importantes do tão conhecido Sermão da Montanha, ministrado por Jesus Cristo no Monte das Bem-Aventuranças. Hoje, eu quero falar sobre a misericórdia do Senhor!

Mateus 5.1 a 7: “Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte, e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e ele passou a ensiná-los, dizendo:

Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.

Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.

Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra.

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão fartos.

Bem-aventurados os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia.”

As misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã, e isso é uma das coisas que mais me constrangem no amor de Deus, porque existem dias que realmente são muito difíceis para nós!

Existem dias em que, mesmo querendo acertar, nós erramos, e erramos feio! Sabe aqueles dias que a gente gostaria de apagar para sempre da nossa história? Sabe aqueles dias em que chegamos à conclusão de que era melhor nem ter saído de casa? Terminamos dias assim achando que somos o pior erro da humanidade!

Mas e o dia seguinte? Parece que tudo está diferente, não é mesmo? O clima mudou! Parece que as tempestades que provocamos no dia anterior, simplesmente, ficaram para trás, porque o Sol está raiando, os pássaros estão cantando, as flores estão desabrochando… Sabe o que é isso? É Deus, com todo o Seu amor e sabedoria, dizendo: “Eu acredito em você! Eu estou te dando mais um dia para você fazer tudo diferente!”.

Cada dia é uma nova oportunidade que o Senhor nos dá para superarmos nossos medos, nossos traumas, nossas dificuldades e os nossos impossíveis! Cada dia é um recomeço!

Este amor inesgotável e imensurável do Senhor nos deixa uma grande lição. Porque, mesmo, muitas vezes, não sendo dignos de receber a misericórdia de Deus, somos cruéis nos nossos julgamentos. Não temos limites para pedir perdão, mas temos limites para perdoar.

Na Bíblia, está escrito que aquele que não perdoa também não encontrará perdão diante de Deus. Perdoar é o mesmo que confiar na justiça do Senhor! É ser livre de todo o tipo de mágoa. Isso não quer dizer que você precisa confiar na pessoa novamente, ou ser conivente com suas deformações, mas significa que você entendeu que todos nós somos passíveis de erros.

Hoje, eu gostaria de compartilhar a Parábola do Credor Incompassivo, uma história contada por Jesus Cristo, que ilustra muito bem a mensagem que eu gostaria de deixar para vocês meditarem nesta quarta-feira:

Mateus 18.23 a 34: “Por isso, o reino dos céus é semelhante a um rei que resolveu ajustar contas com os seus servos. E, passando a fazê-lo, trouxeram-lhe um que lhe devia dez mil talentos. Não tendo ele, porém, com o que pagar, ordenou o senhor que fosse vendido ele, a mulher, os filhos e tudo quanto possuía e que a dívida fosse paga. Então, o servo, prostrando-se reverente, rogou: Sê paciente comigo, e tudo te pagarei. E o senhor daquele servo, compadecendo-se, mandou-o embora e perdoou-lhe a dívida.

Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos que lhe devia cem denários; e, agarrando-o, o sufocava, dizendo: Paga-me o que me deves. Então, o seu conservo, caindo-lhe aos pés, lhe implorava: “Sê paciente comigo, e te pagarei!”. Ele, entretanto, não quis; antes, indo-se, o lançou na prisão, até que saldasse a dívida.

-Vendo os seus companheiros o que se havia passado, entristeceram-se muito e foram relatar ao senhor tudo o que acontecera. Então, o seu senhor, chamando-o, lhe disse: Servo malvado, perdoei-te aquela dívida toda, porque me suplicaste; não devias tu, igualmente, compadecer-te do teu conservo, como eu também me compadeci de ti? E, indignando-se, o seu senhor o entregou aos verdugos, até que lhe pagasse toda a dívida. Assim também o meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um o seu irmão.”

O bem que nós recebemos todos os dias do Senhor deve ser compartilhado. Se o Senhor nos perdoa, por que não podemos perdoar também? Deus não nos perdoa somente porque nós merecemos, mas porque Ele nos ama! Porque, se dependesse dos nossos méritos, estaríamos perdidos!

O critério do nosso perdão não deve ser o merecimento de quem nos fez mal, porque, talvez, essa pessoa nunca se arrependa, mas deve ser pautado na misericórdia que nós já recebemos de Deus!

Ser misericordioso é ter dentro de si o fruto do Espírito Santo, porque a nossa carne só gera ódio, corrupção e vingança!

Gálatas 5.22 e 23: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei.”

Lembre-se do exemplo deixado por Jesus Cristo, que foi misericordioso com Pedro, aquele que o negou três vezes!

Este é o recadinho que eu tenho hoje para vocês! Semana que vem, continuamos essa série maravilhosa!

Por: Bispa Fê

No Comments

    Leave a Reply