Siga-me

Navegue por categoria

Últimos posts

7 maiores erros dos pais na hora de educar os filhos

É dentro de casa que as crianças aprendem como lidar de forma positiva com a vida, sabendo lidar com as frustrações! Nesse sentido, educar é ensinar aos filhos o que é certo, o que é errado e também como se comportar de forma civilizada com as pessoas ao seu redor. Afinal, vivemos em sociedade e temos que seguir regras para um bom convívio social. E é fundamental aprender a lidar com as frustrações que a vida trará: nada melhor do que aprender tudo isso dentro de casa para não sofrer depois!

E, se a criança é egoísta, é necessário que os pais busquem entender o comportamento inadequado dos filhos, perguntando-se o que os leva a agirem dessa forma e refletirem de que forma atuarão para que os filhos modifiquem seus comportamentos egoístas. Vale lembrar também que as crianças necessitam de atenção e carinho, não só de cuidados. Por isso, é importante que os pais dediquem parte do seu tempo para conviverem com seus filhos!

Aqui, vão alguns erros que os pais deveriam evitar de forma que possam dar uma educação adequada para seus filhos, preparando-os adequadamente para a vida:

Falar uma coisa e fazer outra bem diferente (quebrar regras)

As crianças nascem sem saber absolutamente nada acerca do mundo: são os pais que vão apresentar o mundo a elas e, por isso, eles se tornam referência para os filhos. As crianças aprendem imitando os pais e, como elas ainda não têm uma linguagem bem desenvolvida, o comportamento e exemplo dos pais é muito mais importante do que as palavras ditas por eles. Portanto, os pais devem se policiar no sentido de se comportarem de acordo com o que pregam: não adianta nada falar uma coisa e fazer outra bem diferente. Certamente as crianças vão questionar essa diferença para entender porque elas não podem se comportar exatamente como eles. Um bom exemplo: como os pais podem querer que os filhos comam verduras se eles mesmos não comem e fazem cara feia diante dos legumes e verduras? Outro exemplo: proibir os filhos de comer vendo televisão e um dia o pai ou a mãe sentar-se à frente da TV e comer. Óbvio que os filhos vão questionar e chamar a atenção deles para a quebra da regra imposta por eles mesmos.

Desautorizar o pai ou a mãe na frente da criança!

Os pais sempre devem concordar entre si nas suas atitudes com os filhos, pelo menos na frente deles! Se o pai estipulou um castigo, mesmo que a mãe seja contrária a ele, ela jamais deverá desautorizá-lo ou questionar a atitude dele diante dos filhos: ela deve discutir com o marido bem longe dos filhos depois e, diante deles, ela deve acatar e apoiar a decisão do pai. E, se a mãe disser não para o filho, o pai também deve dizer não. Agindo dessa forma, ambos mantêm a autoridade diante dos filhos e ensinam aos filhos que, quando ambos dizem não é não e não se fala mais nisso. Quando os pais agem dessa forma, eles ensinam aos filhos que não existe “jeitinho” para eles conseguirem o que desejam e evitam que seus filhos se tornem manipuladores no futuro.

Falar mal do cônjuge para os filhos

Problemas do casal jamais devem ser discutidos na frente dos filhos e os pais nunca devem exigir ou chantagear seus filhos para que tomem partido de um deles em detrimento do outro. Agir dessa forma gera insegurança nos filhos, faz com que eles tenham um péssimo exemplo de afetividade e sofram porque amam os dois da mesma forma. Uma coisa é ser um casal e outra bem diferente é ser pai e mãe.

Ceder à birra dos filhos

Se a criança nasce egoísta, é óbvio que ela vai agir para que seus desejos sejam satisfeitos sempre. Nesse sentido, quando ela é contrariada, vale fazer tudo para conseguir o que deseja: chorar, espernear, gritar, morder, bater, etc. Agindo assim, ela desafia e testa os limites dos pais o tempo todo. Cabe aos pais jamais cederem à birra, sendo pacientes e explicando com calma que nada do que ela fizer vai adiantar porque eles não voltarão atrás na decisão deles.

Não dar explicações!

Não é fácil ditar regras e as crianças seguirem. Por isso, é importante explicar para elas o porquê de elas não poderem fazer determinada coisa. Vale dizer que regras bem compreendidas são mais facilmente seguidas. Mas não adianta explicar demais: é fundamental que os pais saibam explicar de forma que as crianças possam entender porque não podem fazer aquilo: ser direto e objetivo na explicação. Se a criança não entender, ela vai perguntar e é hora de rever a forma como a explicação foi realizada.

Mentir

Pais que mentem para seus filhos ou que fazem uso de chantagens para convencê-los a fazerem o que deve ser feito, correm um risco enorme de terem filhos mentirosos! Além disso, quando as crianças descobrem a mentira, elas podem perder a confiança em seus pais.

Fazer chantagens ou ameaças

Ameaçar os filhos com punição quando eles são desobedientes, e não cumprir com o prometido, enfraquece a autoridade dos pais e faz os filhos não temerem mais essas ameaças ou chantagens, até porque sabem que seus pais não as cumprem. Por isso é importante que os pais cumpram sempre o que prometem, seja uma punição ou um presente pelo bom comportamento. O melhor a fazer é não ameaçar, mas avisar o filho, de forma firme, o que vai acontecer se ele não fizer o que deve ser feito. Um exemplo: “se você não parar de brigar com sua irmã, hoje você não vai jogar videogame”. Avisou, tem que cumprir! E, na próxima vez que isso acontecer (o filho brigar com a irmã), simplesmente dizer: “lembra do que aconteceu da última vez que você brigou com sua irmã? Você ficou sem jogar! Quer repetir isso de novo hoje? Acho que não, né?”.

Redação iGospel
Fonte: Dra. Olga Tessari (psicóloga, psicoterapeuta, consultora comportamental, pesquisadora e escritora)

You Might Also Like

No Comments

    Leave a Reply